Especialistas do Mato Grosso do Sul discutem ciência e espiritualidade em congresso médico

23/ 05/ 2013 - O médico endoscopista Marcelo Cury e o especialista em Cirurgia e Endoscopia do Aparelho Digestivo Décio Iandoli Júnior estarão entre os 96 palestrantes da 9ª edição do Mednesp – Congresso Nacional Médico-Espírita do Brasil, que acontece de 29 de maio a 1º de junho, no Centro de Convenções de Maceió (AL), e que terá por tema “Desafios do paradigma médico-espírita no ensino, na pesquisa e na prática clínica”.

Cury falará sobre a obesidade e os aspectos espirituais, revelando estudos que identificam o problema da doença do ponto de vista espiritual e possível terapêutica. “A obesidade tornou-se importante doença na atualidade, não somente por sua alta prevalência, como também pelas complicações que causa, gerando redução da qualidade de vida, morte prematura e inúmeros gastos diretos e indiretos. Como as opções terapêuticas atuais apresentam resultados abaixo do desejável, com alta incidência de recidiva, questionamos os fatores espirituais influenciando esta enfermidade”, afirma.

Iandoli Jr tratará de questões atuais como ser ou não lícita a interrupção da vida. “As discussões científicas têm girado em torno das questões: É lícito interferir na vida de outra pessoa para interrompê-la? Se é lícito, em que momento podemos fazê-lo? Levando em consideração os aspectos éticos que têm norteado a medicina brasileira e, mais do que isso, aqueles que norteiam os médicos cristãos, não temos dúvidas de que é preciso impedir a interrupção da vida humana em qualquer momento em que ela se apresente, especialmente na fase embriológica onde fenômenos surpreendentes e maravilhosos deixam mais clara ainda a presença da vida a se manifestar em toda a sua exuberância”, declara Iandoli Jr.

COMPLEMENTOS - Os 96 painéis do evento, também aberto ao público geral, abordarão temas que vão do nascimento ao término da vida física, como infância, adolescência e envelhecimento. Também serão discutidos sob a ótica da espiritualidade assuntos como sexualidade, homossexualidade, dependência química, epilepsia, câncer, depressão, obesidade, doenças cardiovasculares e aterosclerótica, morte encefálica e aborto.

O poder da palavra e do pensamento como instrumento de cura, uso da prece, a influência do passe espírita e a experiência no tratamento espiritual realizado nos centros espíritas da cidade de São Paulo serão alguns dos demais assuntos que devem ser destaque no evento. “Nos últimos anos, temos observado um aumento nas pesquisas acadêmicas sobre o tema, mostrando impacto positivo na saúde, com melhor qualidade de vida, diminuição das doenças e da gravidade delas, assim como uma melhor recuperação de processos de internação hospitalar e maior sobrevida em pessoas espiritualizadas. Vamos nos reunir para abordar assuntos científicos mais profundos a fim de trabalharmos no desenvolvimento e na implantação do paradigma médico-espírita”, afirma Marlene Nobre, ginecologista e presidente da Associação Médico-Espírita, entidade realizadora do congresso.

“A dimensão espiritual sempre esteve ligada às práticas de saúde, desde o ‘nascimento’ da Medicina ocidental com Hipócrates, que entendia a saúde como equilíbrio entre alma e corpo físico. Houve um afastamento acadêmico, nos últimos 200 anos da história ocidental, que criou um abismo entre Medicina e Espiritualidade. Tal fato parece intransponível, mas vamos mostrar que não é”, defende Marlene.

Segundo o médico cardiologista e intensivista Ricardo José dos Santos, presidente da Associação Médico-Espírita de Alagoas, que está à frente da organização do evento, a expectativa de público para o congresso é de 2 mil participantes. O último evento, que aconteceu em Belo Horizonte (MG), em 2011, contou com a participação de 1,1 mil pessoas. “Pretendemos ampliar o nosso potencial esse ano. Estamos muito felizes por podermos promover neste evento um fórum de debates muito importante para nós, médicos, a fim de trabalharmos na consolidação do novo modelo de saúde que contempla a espiritualidade”, concluiu Santos.

SOBRE A ASSOCIAÇÃO - A Associação Médico-Espírita do Brasil (AME-Brasil) foi fundada em São Paulo (SP), em 17 de junho de 1995, durante a realização do Mednesp-95, o 3º Congresso Nacional de Médicos Espíritas, realizado pela Associação Médico-Espírita de São Paulo (AME-SP), instituição pioneira, existente desde 30 de março de 1968.

Até 1991, quando se iniciaram os encontros nacionais bienais, existiam somente a AME-SP e a AME-MG, fundada em 18 de abril de 1986. A partir de então, fundaram-se outras, em vários Estados do Brasil, possibilitando o surgimento da entidade federal. Atualmente, são 53 AMEs no País, incluindo-se as estaduais e regionais.

Além de congregar todas as AMEs do País, auxiliando em sua atuação, de modo a difundir o Movimento Médico-Espírita nos estados e colaborar com instituições educacionais, assistenciais e órgãos em geral, a entidade tem por finalidade o estudo da Doutrina Espírita e de sua fenomenologia, tendo em vista suas relações, integração e aplicação nos campos da filosofia, da religião e da ciência, em particular da Medicina, procurando fundamentá-la por meio da criação e realização de estudos e experiências orientadas nessa direção.

AGRADECIMENTOS:

Jornal Dia a Dia



ACEITAMOS E AGRADECEMOS SUA DOAÇÃO (QUALQUER VALOR) PARA AJUDAR A MANTER ESTE SITE SEMPRE ATUALIZADO. CLIQUE NO BOTÃO ABAIXO PARA DOAR:





Ver mais textos  Indique esta notícia para um(a) amigo(a)


  Política de privacidade do site  |  Entre em contato  |  Sobre Piracicaba  |  Sala de Imprensa  |  Criação evernet