Ânimos exaltados define tendências eleitorais a partir de hoje

17/ 09/ 2018 - Uma configuração astrológica que vem se arrastando com alguma negatividade desde agosto atinge nesta terça-feira (18/09) seu ponto máximo no céu, fazendo os ânimos se exaltarem. Se intensificam a falta de diálogo e da boa vontade entre os povos e entre as pessoas. Tudo provocado por aspectos astrais tensos entre Marte, Urano e Vênus.

No caso do Brasil - que está em meio à campanha eleitoral mais enigmática e tensa da sua história, a condição astrológica promete bagunçar ainda mais a corrida presidencial, acirrando os ânimos.

Conforme o Esotérico Professor Michel, enquanto Vênus e Urano se encontram em oposição, Urano também está formando uma quadratura com Marte – posicionamento que deixa os dois planetas a 90° um do outro e terá seu ápice nesta terça-feira, 18 de setembro. "Essas condições astrais tensas vão continuar até outubro, justamente na época das eleições. Com certeza veremos um aumento da agressividade de candidatos e militantes, especialmente dos que estão tecnicamente mais empatados nas pesquisas eleitorais", explica Prof. Michel.

Segundo o Esotérico, os candidatos que estão à frente nas pesquisas eleitorais sofrerão diretamente os impactos negativos gerados no céu por Urano, Marte e Vênus. Veja como podem reagir os candidatos:

GERALDO ALCKMIN - Provavelmente perderá mais eleitores nos próximos dias. Há risco de culpar sua equipe de campanha pelas dificuldades, gerando um clima negativo entre todos. Isso pode fazer sua campanha naufragar de vez no começo de outubro.

CIRO GOMES - Pode ser vitimado por um escândalo até então escondido. Risco de perda de votos.

MARINA SILVA - Saúde bastante debilitada nas próximas semanas. O excesso de compromissos de campanha faz com que os eleitores encarem a Presidenciável como uma mulher que não terá saúde para ser presidente. Perde votos.

FERNANDO HADDAD - É de Aquário com ascendente em Escorpião, dois dos signos mais afetados pela configuração astral negativa. Vão pipocar muitas notícias prejudiciais. Deve conquistar uma fatia do eleitorado nos próximos dias, para depois estabilizar.

JAIR BOLSONARO - Impossibilitado de fazer campanha devido ao atentado que sofreu recentemente, o Presidenciável perderá temporariamente eleitores para Fernando Haddad, por conta de trapalhadas provocadas por correligionários e uma briga entre "caciques" do seu partido. Para a sua sorte, volta a recuperar os votos e a liderar as pesquisas às vésperas do 1.º turno.


Configuração tensa de Urano, Marte e Vênus pode estar definindo o 2.º turno
das eleições presidenciais entre Jair Bolsonaro e Fernando Haddad já nesta terça-feira (18/09).



(Notícia liberada para a Imprensa, desde que citada a fonte)

Ver mais textos  Indique esta notícia para um(a) amigo(a)


  Política de privacidade do site  |  Entre em contato  |  Sobre Piracicaba  |  Sala de Imprensa  |  Criação evernet